quinta-feira, 24 de abril de 2008

Saudações!

Confesso que eu estava tentando superar a minha timidez para escrever aqui.

Já vai fazer um mês que voltamos de Curitiba. Embora eu pense que podíamos ter trabalhado um pouco mais, creio que esse tempo por lá nos trouxe novas experiências que em algum momento poderemos usar no nosso processo. Uma grande experiência é aprender estar preparado para qualquer possível imprevisto que possa ocorrer.

No segundo dia, saí em busca de um café da manhã e ao voltar, percebi uma placa em frente a Casa do Estudante, do outro lado da rua, na calçada da maior escola estadual do sul do país. Era uma placa “Fringe Aqui”. Eu pensei, nossa que bacana, vamos trocar divulgação com o pessoal da escola... Olhei para frente do lugar que nós iríamos nos apresentar para ter o prazer de ver a nossa própria placa e não tinha placa nenhuma. Antes que eu pensasse em alguma explicação, vejo os meninos trazendo uma escada. Era a primeira pegadinha do Fringe para o nosso grupo. A nossa placa de divulgação estava no lugar errado e nós é que precisaríamos mudar.





Estamos em harmonia, a Primavera voltou mais tranqüila daquela cidade de brisa gelada. Tenho sentido um clima muito bom durante os ensaios e mesmo que ainda tenha questões para resolver na peça, tudo parece estar resolvido, não estamos mais tão estressados e aprendemos a nos divertir com a nossa peça.
Agora estamos correndo para mostrar o nosso trabalho.

Mayra Guanaes

terça-feira, 15 de abril de 2008

Festival de Curitiba!



De Curitiba, voltamos nós.
Do dia 20 ao dia 30 de março, NÓS, ou seja, o grupo Pequeno Teatro de Torneado do Projeto Meu Olho - Meu Mundo, apresentou o espetáculo “Primavera” no Festival de Curitiba, o Fringe.


Primavera é o resultado de um processo de dois anos que retrata o adolescente contemporâneo a partir da obra de Frank Wedekind, “O Despertar da Primavera” , do qual vocês ainda vão ouvir falar muito neste blog.


O Fringe é o seguinte: grupos de teatro e dança de todo o Brasil, e alguns até de fora do Brasil, se reúnem para apresentar seus espetáculos na cidade de Curitiba-PR, espalham-se nos teatros de toda a cidade. Uma mostra de teatro sem competições, não há critérios para os grupos participarem, cada grupo cobra a bilheteria que quiser e apresentam nos dias e horários que pedirem. E é a maior farra! Muita peça (283)! Muita gente misturada! Muitas festas! Bares! Espetáculos de rua etc.
Site da programação do Fringe, para mais informações:
http://www.festivaldeteatro.com.br/ftc2008/index.asp

Os grupos concentram-se principalmente no Largo da Ordem, centro da cidade, onde há muitos bares, teatros, livrarias, espaços culturais, pessoas que vão ao teatro e o Memorial de Curitiba, que é a sede do festival. Pode ser comparado à Praça Roosevelt, de São Paulo.


Nós não ficamos em cartaz lá, feliz e infelizmente. Infelizmente porque a divulgação dos espetáculos do Fringe é muito, mas muito fraquinha e o pouco público que há, se concentra no Largo da Ordem. Então, se estivéssemos lá, talvez conseguiríamos mais público. Felizmente porque ficamos na Casa do Estudante Universitário (CEU), uma espécie de república mantida pelo governo e pelos estudantes, centenas de estudantes que vêm de outros Estados para cursar faculdade ou estagiar em Curitiba. Um ambiente que relaciona muito com a temática do espetáculo pelo lado estudantil, pelo fato de estudantes morarem sozinhos no ambiente que estudam, sem família e amigos, como um colégio interno, o que é retratado no nosso espetáculo, e pelo fato do isolamento de estudantes pelo sexo, pois na casa do estudante só podem hospedar-se os homens. As mulheres são em outra república de Curitiba.


Foi uma média de onze dias montando cenário, ensaiando, indo às coletivas de imprensa, ensaiando, entregando filipetas, ensaiando, pegando folhas secas, ensaiando, fazendo reuniões e principalmente ensaiando! Afinal de contas, lá foi nossa estréia com todo o cenário, todas as cenas e marcas executadas.
Foi divertido. O grupo se uniu, atores progrediram individualmente, fizemos nossa primeira viagem para apresentação(com o grupo inteiro), conhecemos muita gente, fizemos nossa primeira intervenção de rua, curtimos a linda cidade (de custo de vida muito baixo), onde seis grandes pãezinhos de queijo saem por R$ 1,00, conhecemos um pouco do teatro dos outros Estados e novamente nos divertimos! Mas sobre a estrutura do Fringe...


Este ano, o Fringe esteve com muitos problemas em sua organização, principalmente nos erros de divulgação. No principal Guia de programação do Fringe, nosso espetáculo saiu com duração e nomes de atores errados.


Primavera

DRAMA | SÃO PAULO – SP | CEU – Casa do Estudante Universitário.
DIAS: 21, 27 e 28 às 20hs; 23 e 30 às 16hs: 22 e 29 de março às 16hs e às 21hs | INGRESSOS: R$ 16, 00 E R$ 8,00.

“Que tipos de influências a educação e as posições políticas dos adolescentes do século 19 trouxeram para o comportamento do jovem contemporâneo e para os rumos da educação no Brasil? O espetáculo propõe uma reflexão sobre este tema, trazendo ao palco uma desconstrução épico-dramática de uma obra de Wedekind.”

PEQUENO TEATRO DE TORNEADO – TEXTO: FRANK WEDEKIND. DIREÇÃO E ADAPTAÇÃO: WILLIAM COSTA LIMA ELENCO: HELOISA EVELYN, TAIGUARA VACCARI CHAGAS, TIAGO FRANÇA, BEATRIZ CAVALCANTE, DIOGO ALVES, TATIANA FONTES AVANCHELO, BRUNO GONÇALVEZ, MAYRA GUANAES. DURAÇÃO: 90’


90’? Por esse relapso errinho, perdemos um grande número de público que estavam programados para assistir outras peças do festival. Nosso espetáculo tem quase quatro horas de duração. Muitas pessoas saíam no intervalo do espetáculo. “O público foi despedaçando na mesma velocidade dos personagens da peça pra balancear”, como disse o crítico Michel Fernandes.


Os atores Taiguara Chagas, Tatiana Fontes e Diogo Alves foram substituídos por Beatriz Barros, Diego Chimenes e Fernando Mello, na época da substituição o e-mail foi mandado novamente para o festival com os nomes corretos, mas consideraram os nomes do primeiro e-mail.


Além de tudo isso, pouco público nas apresentações, má distribuição de espetáculos, uma das apresentações o festival errou o horário da apresentação vendendo em sua sede ingressos para hora errada, e também, a pouca divulgação para os moradores da cidade. Ainda bem que não foi só com a gente!


É isso aí, Fringe! Espero que ano que vêm vocês melhorem. Principalmente, em divulgação e organização. Obrigado e merda prô ceis!
Até que no finzinho nós conseguimos um pouco de atenção da imprensa e dos críticos, alguns deles foram aos últimos dias do espetáculo e eis que:

http://igbandalarga.ig.com.br/materias/478501-479000/478915/478915_1.html
http://www.bacante.com.br/revista/critica/primavera
http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u387081.shtml

E novamente na rotina apressada, porém, divertida de Sampa. 3 projetos: Conexões. Primavera e Peter em Fúria. Pouco tempo. Muitas idéias. Empolgação. Euforia. Excitação. E o famoso Trabalho...

7/04 – Reunião de Leitura dos textos do “Conexões”



WILLIAM na ponta do fundo, na esquerda BIA BARROS e BIA CAVALCANTE, na direita está o THIAGO, BRUNO e MAYRA, FERNANDO na ponta da frente. HELOISA tirando e foto e DIEGO não estava presente no dia.

Que todos quebremos a perna! (Depois do espetáculo, é claro!)




Heloisa Evelyn

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Eis aqui o primeiro post do blog do ‘Pequeno Teatro de Torneado’!

Só para alertá-los, gostaria de dizer que o choque da transformação de ‘curso’ em ‘grupo’ nos remete a uma imaturidade (em questão de grupo) que talvez vocês encontrem com alguma freqüência nessa página. Mas se teatro é exposição, blog de teatro é a exposição com erros de português e acho que essa pode ser uma maneira inteligente das pessoas perceberem, com o passar do tempo, o amadurecimento do grupo.
Aqui iremos colocar críticas, sugestões de peças, reflexões sobre conversas, além de propor fóruns de discussão que podem ser acompanhados na comunidade do
‘Projeto Meu Olho-Meu Mundo’ , de onde o grupo se formou.
Espero que vocês se divirtam e aproveitem esse espaço para refletir que o teatro jovem pode não ser superficial.
O ‘Pequeno Teatro de Torneado’ do ‘Projeto Meu Olho-Meu Mundo de Pesquisa Cênica’ agradece a sua visita.

Que seja doce!



Bruno Lourenço