Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2008

O NOSSO INFANTIL!

Olá Queridos! Este é um texto que foi escrito baseado em experiências que vivenciei com a Mayra em um Parquinho ao lado do Cemitério Cachoeirinha!
O NOSSO infantil!Em uma balança de um parque, parque esse que oniricamente faz parte da vida de uma amiga, foi onde comecei a retornar aos acontecimentos da minha infância nesse lugar e a congregar essas preciosas e poderosas lembranças.No começo foi um leve balançar, que foi se intensificando com o uso da minha força física e mental, lembranças foram me impulsionando a querer ir mais alto, logo, mais (pro)fundo, e o barulho constante pelo tempo de uso da balança foi me tomando, hoje com meu conhecimento alternativo (tipo, meu?!) posso afirmar se assemelhar a uma música da Bjork, e é impressionante como fazemos associações com o atual, no caso a música de Bjork se assemelha ao som da Balança, não é nem preciso divagar sobre que veio primeiro (ovo, galinha, ajudou?!), enfim, com o som fui entrando num transe, e com ele a companhia do medo da …

Transtornos alimentares.

Bia Cavalcante postando aqui.
Bom, há um tempo atrás eu recebi uma carta que me emocionou muito. Que, na minha opinião, é cheia de inteligência sem perder humanidade. E eu gostaria muito de compartilhá-la com vocês, então...

"Não estou aqui para confessar tudo e contar sobre como foi horrível, que meu pai era mau, a minha mãe era má e algum garoto me chamou de balofa na terceira série, porque nada disso é verdade. Eu não vou repetir sem parar o quanto os transtornos alimentares "têm a ver com controle", porque todos já ouvimos isso. É uma palavra-chave, reduzida, categórica, uma forma organizada de amontoar as pessoas numa quarentena mental e dizer: Pronto. É isso. Transtornos alimentares "têm a ver com": sim, controle, e história, filosofia, sociedade, estranheza pessoal, problemas familiares, auto-erotismo, mitos, espelhos, amor e morte e sadomasoquismo, revistas e religião, os tropeções de um indivíduo de olhos vendados através de um mundo cada vez mais estra…
Iremos começar um novo processo no ano que vem.
Um estudo sobre 'Hamlet' e 'A Gaivota'.
E vamos tentar ter como foco questões sociais.

Eu coloco um texto aqui para todos nós.
São dois professores.
O de matemática e o de história.

Acho que tem um pouco a ver com o nosso novo processo.

"Foi servir-se de um café, voltou a sentar-se e, sossegadamente, estendeu o jornal em cima da mesa, disposto a inteirar-se do estado geral do mundo e do país. Depois de percorrer os títulos da primeira página e franzir o nariz a cada um deles, disse, Às vezes pergunto-me se a primeira culpa do desastre a que esse planeta chegou não terá sido nossa, disse, Nossa, de quem, minha, sua, perguntou Tertuliano Máximo Afonso, fazendo-se de interessado, mas confiando que a conversa, mesmo com um início tão afastado das suas preocupações, acabasse por levá-los ao âmago do caso, Imagine um cesto de laranjas, disse o outro, imagine que uma delas, lá no fundo, começa a apodrecer, imagine que, uma após ou…
Comecei a escrever isso há um tempo atrás.
É bem maior e eu não sei o que é.
Mas me deu vontade de partilhar com vocês.

"Eu não conheço o nome daquela árvore e o único nome que eu sei foi um nome que eu inventei. As coisas mudam. As pessoas crescem. Encontros se fazem, desfazem, refazem e quando nosso olhar só encontra o seu reflexo nós vemos a necessidade de algum encontro com o novo.
Eu queria um gole de café, um fiapo de calça, uma colherada de açúcar... Não sei. Algo me faça ser humano. Nesse meu anseio, eu já juntei um monte de tranqueira e meus dentes estão cheios de cáries.

Tudo começou num momento que eu desacreditava ser o momento de um ‘encontro com o novo’, então fui pronto para andar só. Era algum feriado. A gente se usa de uma convenção pra ser feliz e se sentir amado. Tem gente que fala que as datas comemorativas são ‘jogadas de marketing’. Eu acho que é a forma que o ser humano encontrou de amar o próximo. Eu poderia fazer uma jogada de marketing beijando a minha mãe. E…

Lembranças do Refugo

Bia Barros postando. Estava arrumando minhas coisas e encontrei isto aqui, que escrevi na época do refugo, acho uma boa postar.

Hoje lembrei que meus pulmões são nas minhas costas, que estão atrás de mim, junto com a minha memória. E eu tenho mantido a respiração ofegante para não perder minhas imagens formadas naquele passado. Eu só respiro, só respiro, só respiro. A minha memória perece que carrega o verde, o marrom, o azul, o vermelho. E da minha voz e dos meus olhos só sai este vermelho, o vermelho que desce e escorre sobre minhas roupas, e cai no chão que já tá seco, com toda aquela terra que quando se junta com o vermelho daquele sangue não se sabe mais distinguir o que é terra e o que é sangue. É a mesma terra que cai sobre o laranja de uma lona e sobe, com a dança que fazemos com os nossos pés descalços, sobe pro céu e vai embora, vira ar, o ar que meus pulmões respiram.
Momento da divulgação: Mostra da Escola Livre de Teatro de Santo André

Saudações, amigos torneásticos! Venho por meio desta, divulgar a participação de alguns torneados na Mostra da Escola Livre de Teatro.

Para ficar mais claro:

O Fernando faz a Formação de ator.

O William é um dos diretores do Núcleo de direção (Mas também está em cena.)

A Éride e eu somos atrizes do Núcleo de direção (Fazemos cenas de três outros diretores)

Segue abaixo os dias e horários das apresentações de cada um:

Quinta (dia 4)
18:30 - William (Dias de Campo Belo)
20:30 - Fernando (Questões sem necessidade de nome)

Sexta (dia 5)
18:30 - William (Dias de Campo Belo)
19:00 - Mayra (Isso não é Rasga Coração)


Sábado (dia 6)
18:00 - Éride (Tapetes)
18:30 - Mayra (Isso não é Rasga Coração) e William (Dias de Campo Belo)*

Domingo (dia 7)
18:30 - Mayra (Isso não é Rasga Coração) e William (Dias de Campo Belo)

Segunda (dia 8) **
18:30 - William (Dias de Campo Belo)
19:00 - Mayra (Rasgão do Coração)***
19:30 - Mayra (Isso não é Rasga Cor…
Sobre o processo, o petróleo, o teatro e o social.

E qual é a relação de tudo isso?
Vamos lá...


30 de Novembro de 2008
Vestibular da PUC-SP

O Processo Seletivo
“...produza um texto que considere:
1.A presença do petróleo na vida social, na tecnologia e na economia do século XX e no início do século XXI;
2.As relações entre consumidores e produtores e os conflitos associados à disputa por essa fonte de energia;
3.As perspectivas futuras dessa matriz energética e o risco (ou não) de seu esgotamento rápido.”

O Petróleo
Guerra santa? Santa ignorância! Nossa sociedade atual de sustenta na falta de sustentabilidade social naquilo que mais necessita. Por conta de possíveis recursos naturais para uma energia não renovável, homens entram em guerras e esquecem que aos poucos estão extinguindo sua própria espécie.
Estamos todos cientes de que a preservação do que é nosso deve existir, mas parece que estamos cada vez mais conformados também. É bem mais cômodo pegar um carro, dirigir até o posto e reaba…