quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Anti-sol, Ante Luz

Anti-sol, Ante Luz

Sabe aquela plantinha que fica presa na caixa e depois de algum tempo, sobe em direção a luz?
É algum lugar que fez parte de mim, mas eu não conheci.
São figuras que estavam presas dentro de mim, que eu sempre tento fazer sair.
A angústia que fica desse lado da janela, quando não conseguimos conhecer o mundo que existe lá fora.
O nosso sagrado, constítuido em espaço cênico
A idéia de que o teatro existe, pode existir em qualquer lugar
Na forma simples e bela.
E a nossa pesquisa, amadurecida, viva
Presente em outros corpos.
Fico feliz em saber que, a Primavera se prorroga mesmo e continuamos florescendo.
E somos todos parte desse jardim.

Mayra

Um comentário:

Larissa Costa disse...

A semente se propaga graças a vocês que cuidam bem do jardim...

Que sempre seja assim Radiante!!

Ps: Saudades de todos

Sobre o sentir e o dançar de um corpo gordo

Sempre achei estranha a vontade que eu tinha de dançar. Durante muito tempo, meu corpo ficou inerte. Fugia das aulas de educação física, ...