Das últimas sensações...

Estou procurando a minha existência. Já perdi as contas de quantas vezes já respondi a pergunta: "por que estou aqui?" nas entrevistas dos cursos/núcleos que eu quero fazer. Eu tenho dificuldade para organizar meu fluxo de idéias quando estou falando em público e nesses momentos essas características ficam ainda mais gritantes quando vejo tantas outras pessoas com as mesmas necessidades, fome de arte, assim como eu. O problema nem são as entrevistas em si, mas sim a quantidade de pessoas que estão no mesmo lugar que eu, mesmo que não seja com os mesmos objetivos. O teatro é um mundo pequeno que nos possibilita o encontro, e esse encontro se torna corriqueiro quando buscamos uma arte bacana. Me deixa muito feliz saber que artistas na qual eu admiro o trabalho tem seu trabalho admirado por tantas outras pessoas. Mas fico muito chateada perceber que a demanda de cultura no país é pequena. Estou em São Paulo, que é o maior pico cultural do Brasil, e quando vou fazer entrevista tem gente do país inteiro querendo uma chance também. E não temos vagas para todo mundo, infelizmente. O dinheiro investido em cultura não consegue cobrir os artistas de São Paulo, muito menos os que vem de fora. Mas que bom que esses artistas de fora estão aqui também. O teatro faz o encontro. E mesmo com essa falta de espaço, essa falta de investimento, nós conseguimos nos agregar. Nós vamos fazer desse encontro, um encontro feliz. Muito feliz.

Mayra

Comentários

Cult Cultura disse…
Oi, pessoal!
fiz uma divulgación pra vcs: http://cultcultura.blogspot.com/2009/03/teatro-jovem-refugo.html

Beijão e sucesso!
Anônimo disse…
Lindos...!
Merda sempre!

http://www.guiadasemana.com.br/Sao_Paulo/Artes_e_Teatro/Evento/Refugo.aspx?id=49052

Inara

Postagens mais visitadas deste blog

Verão de 2005.

Curtíssima temporada do espetáculo "O Girador" no Teatro Pequeno Ato

2014: um primeiro balanço e o nosso fim de ano