Eu sei que ultimamente, a única coisa que passa pela minha cabeça é a frase "minha cabeça ta pesada".
É engraçado, a gente acha que não vai dá conta de nada.
Porque mostraram pra gente, que se nós escolhermos esse caminho que nós estamos seguindo, nós automaticamente não vamos dar conta de nada.
A vida inteira, as pessoas nos mostraram o lugar onde elas estão.

Eu aprendi a me ver em um futuro, e não ver o meu presente indo para o futuro. Eu aprendi que eu estudo porque eu tenho um vestibular, aprendi que eu estudo porque eu tenho que educar meus filhos, tem que dar comida para eles, eu preciso de dinheiro para ir ao cinema, minha mãe não vai me dar dinheiro, eu preciso respirar com uma freqüência não muito acelerada e para isso, eu preciso chegar lá.
Só que, ultimamente, é muito doloroso chegar lá, as pessoas colocam o chegar lá de uma forma que machuca. A minha cabeça machuca o meu pescoço, que cai com uma dor em cima da minha coluna e os meus braços e as minhas pernas ficam paradas, sem se movimentarem. E eu não tenho nem mais vontade de chorar, nem de gritar. Porque o grito e o choro não serão suficientes para isso, porque esse sentimento vai continuar ali. E a força para chorar e para gritar, eu perdi.
Me desculpa, eu fui ensinada.
Todos que estão em volta de mim passaram por isso. Eu tenho que passar. É natural, é normal. Só que dói muito, muito, muito, saber que o natural e o normal são tão frios.
Hoje, eu estava na aula de álgebra. E eu comecei a me organizar, estou de recuperação em algumas matérias, e eu sempre fico pensando se eu vou dar conta de tudo isso. Eu sei que eu vou, eu sei que os meus horários serão bem distribuídos, eu preciso afirmar isso constantemente para mim, eu não posso me esquecer disso. Só que, teve uma hora, que eu coloquei minhas alternativas:

- estudar segunda feira.
- tocar flauta na terça feira.
- me matar na quarta feira.

Chega uma hora, em que você percebe que o seu corpo pede uma morte. Pede uma finalização, pede, implora! Grita.. chora..
E você, com a sua cabeça pesada, tenta novamente levantá-la e, pensa no futuro. Pensa no seu grupo de teatro, pensa nos seus filhos.
Querendo ou não, o futuro que me colocam me incentiva. Porque, me desculpe, eu fui ensinada a continuar vivendo pela esperança que colocaram pra mim, porque se o presente está ruim, onde mais eu posso ser boa?

Eu só queria ouvir um "calma, ta tudo bem", "eu to com você, é só uma fase, é só um período, eu já passei, e eu posso te ajudar.. ok?".

Hoje no intervalo, perguntei para os meus amigos o que a palavra respiração remete eles, as primeiras coisas que eu escutei foram "bronquíolos, pulmão"... Depois eu disse a palavra "cores da respiração", e eles falaram "azul, verde", e finalmente, eles falaram "alívio, o fim, uma bolha".

Respira..
Conta até 3..
1 (escola, provas, álgebra, bascara, eletricidade, formulas, números complexos, mitose, meiose..)

2 (vestibular, filhos, casa, leite, marido, janta, faculdade, emprego, cheguei lá, dor de cabeça, dor de estomago, vomito, sangue, água..)

3 (torneado..)

E solta.

Beatriz Barros

Comentários

Anônimo disse…
E depois, só lá no fim vem:
4. amor, saudade,teatro,amor.
Eu posso te falar pq já passei por isso, e são só essas coisas que realmente ficam, o resto vai ser apagado.
Mayra disse…
Vai passar mesmo Bia.
Eu era assim quando você me conheceu.
Lembro que depois que eu acabei o colégio você falou que eu estava bem melhor agora.
Aproveite a escola para o vestibular, para conhecer pessoas.
Na real, só serve pra isso mesmo.

Postagens mais visitadas deste blog

Verão de 2005.

Curtíssima temporada do espetáculo "O Girador" no Teatro Pequeno Ato

2014: um primeiro balanço e o nosso fim de ano