1- menino
2- menina

1 - O que é rosa para você?
2 – O nome da minha boneca!
1 - Você tem uma boneca?
2 – Toda menina tem.
1 – Você parece uma boneca.
2 – E você, parece um cravo!
1 – E bonecas e cravos?
2 – Sei das rosas, e não de bonecas com cravos.
1 – Então seja uma rosa.
2 – Mas o cravo brigou com a rosa debaixo de uma sacada.
1 – Estamos em cima de uma!
2 – Construiremos a nossa.
1 – Então não brigaremos antes de termos uma.
2 – Teremos uma nossa?
1 – Eu já tenho a rosa, isso não é o que importa?
2 – E o que é a rosa para você?
1 – Não consigo dizer.
2 – E te machuca não saber dizer?
1 – E você, te machuca ao me chamar de cravo?
2 – Me machuco por não conseguir dizer.
1 – Dizer o que?
2 – Tudo o que eu queria.
1 – Então o cravo sai ferido e a rosa despedaçada.
2 – É normal não saber dizer?
1 – Acho que sim. E gostaria de dizer tudo?
2 – Por enquanto não.
1 – Por que não?
2 – Porque nunca disse. Quando eu disse “eu te amo”, acabei perdendo essa frase nas pessoas, de modo que, por enquanto, procuro ela dentro dos outros ou até mesmo dentro de mim.
1 – Só por enquanto?
2 – Eu não sei. Sei que o destino me traiu, e me colocou junto a você sobre uma sacada. Pois assim que seja.

Sendo assim, um Romeu e uma Julieta.
Beatriz Barros

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Verão de 2005.

Curtíssima temporada do espetáculo "O Girador" no Teatro Pequeno Ato

2014: um primeiro balanço e o nosso fim de ano