domingo, 5 de agosto de 2012

Torneando



E então, você vai perder a chance?

Nesse próximo final de semana, 11 e 12 de agosto, tem duas seções do espetáculo "Dias de Campo Belo".




Venha, traga amigos e divirta-se!

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Pequeno Teatro de Torneado apresenta Mostra de Espetáculos


Grupo teatral realizará apresentações especiais de seu repertório durante o mês de agosto.

O coletivo teatral Pequeno Teatro de Torneado, que teve o seu início em 2005 a partir de um projeto de arte-educação do diretor e dramaturgo William Costa Lima, realizará uma mostra de seu repertório durante o mês de agosto de 2012, na sede da Companhia de Teatro de Heliópolis.
Em poucas apresentações, realizadas durante o mês de agosto, o grupo dará ao público a possibilidade de vislumbrar um panorama de sua produção, desde suas primeiras obras, focadas no teatro jovem, como o monólogo “Menina de Louça” (2006), o espetáculo “Primavera” (2008) e a encenação do texto “Refugo” (2008), da dramaturga britânica Abi Morgan, montado especialmente para o projeto Conexões, do British Council.
Também serão apresentados os mais recentes trabalhos do grupo, como o espetáculo “Dias de Campo Belo” (2009), que teve a supervisão do diretor Luis Fernando Marques (do Grupo XIX de Teatro), além da estréia, em São Paulo, do espetáculo “O Girador”, apresentado na mostra FRINGE do Festival de Teatro de Curitiba deste ano..
A mostra também contará com apresentações gratuitas do exercício cênico “Síntese - Gota d´Água”, inspirado na obra de Chico Buarque e Paulo Pontes, realizada em parceria com o Grupo de Artes Integradas Caleidoscópio da Faculdade de Educação da USP.
Para William Costa Lima, a mostra é uma oportunidade do próprio grupo – que desde a fundação vem se firmando como um espaço de reflexão e formação de novos artistas – rever a sua pequena trajetória antes da estreia, em 2013, do seu mais ambicioso projeto: uma releitura brasileira e contemporânea da fábula de Peter Pan, que envolve mais de 30 artistas criadores.
Ao trazer sua mostra para a sede da Companhia de Teatro de Heliópolis, o Pequeno Teatro de Torneado se propõe a uma experiência artística que envolva um verdadeiro diálogo entre teatro e sociedade, tema tão presente no percurso traçado pelo grupo.
A mostra ocorrerá entre os dias 04 de agosto e 02 de setembro. Sextas às 20h, sábados e domingos às 18h. A Casa de Teatro Maria José de Carvalho possui 80 lugares e fica localizada na Rua Silva Bueno, nº 1553 – Ipiranga, próximo ao metrô Sacomã. Os ingressos custam R$30 (inteira) e R$15 (meia-entrada)

SERVIÇO
Mostra Pequeno Repertório de Torneado
De 04 de Agosto a 02 de Setembro

“O Girador” – 04 e 05 de agosto – Sábado e domingo às 18h

Release: A história se passa numa seção de “achados e perdidos”. Perpétuo e Armena são um casal de artistas que fogem do circo, cansados de viver em busca de coisas perdidas. Ao decidirem abandonar tudo o que possuem, eles tomam uma decisão curiosa: escolhem jamais amar algo que também pudesse abandoná-los. A história é contada pelas filhas do casal, que tiveram o amor dos pais negligenciado durante toda a vida. As memórias das personagens conduzem a história e às vezes servem para estarrecer, assombrar, divertir ou até mesmo consolar o público que compartilha suas perdas.
Dramaturgia e Direção: William Costa Lima
Atores Criadores: Beatriz Barros e Bruno Lourenço
Duração: 80 minutos
Valor do Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia

“Dias de Campo Belo” – 11 e 12 de agosto – Sábado e domingo às 18h
Release: Dias de Campo Belo conta a história de uma jornada interior, um passeio pelas memórias e sonhos de personagens masculinos que, por alguns instantes, tentam modificar o curso de sua existência e colocar em relevo tudo o que passou despercebido. Amigos, irmãos, primos, pais e avós que, em seus tantos encontros ao longo da vida, tentam voltar às suas raízes e reafirmar pactos, sem perceber a força social e histórica que age sobre as rupturas e pequenas ditaduras cotidianas.
Dramaturgia e direção: William Costa Lima
Supervisão artística: Luis Fernando Marques
Assistência de direção: Bruno Lourenço
Atores criadores: Vagner Miranda e William Costa Lima
Valor do Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia
Duração: 60 minutos

“Refugo” – 18 e 19 de agosto – Sábado e domingo às 18h
Release: Refugo é uma história pungente e necessária para a reflexão do nosso tempo. Em seu aniversário de onze anos, Kojo vê sua família ser assassinada por guerrilheiros em meio à guerra civil instaurada em seu país. O texto se apresenta como uma aparente micro-reflexão sobre o tratamento dado às crianças refugiadas no Reino Unido, e por fim, desemboca numa reflexão maior: sobre o modo com que as crianças estão sendo tratadas no mundo. Uma reflexão sobre as guerras e os órfãos gerados por ela.
Texto: Abi Morgan
Tradução: Fernanda Sampaio
Direção: William Costa Lima
Atores Criadores: Ana Carolina Bueno, Aguida Aguiar, Larissa Costa, Rafael Revadam, Marina Yohara, Beatriz Barros, Bruno Lourenço, Simone Jaeger, Pablo Juan, Mariana Boujikian, Isabel Boujikian, Lucas Jaeger, Fernanda Gava, Paulo Jaeger, Thais Rodrigues, Dionatas Maurício, Kainara Ferreira, Alberta Jaeger, Camila Alves, Guilherme Valdoski, Frankoow Vieira e Renam Almeida.
Duração: 80 minutos
Valor do Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia

“Primavera” – 25 e 26 de agosto às 18h
Release: Em uma instituição, reconhecida como exemplo de pedagogia educacional, adolescentes esperam o despertar da primavera. Esse despertar, mais do que a chegada de uma estação, passa a representar o encontro com o novo e os riscos que temos de assumir diante dos caminhos e escolhas que a vida nos aponta. Escolhas políticas, sociais, sexuais, religiosas a até mesmo morais.
Em “Primavera” propomos um contraponto entre o adolescente contemporâneo e os jovens apresentados no texto “O Despertar da Primavera”, do dramaturgo alemão Frank Wedekind, escrito em 1891.
Dramaturgia e direção: William Costa Lima
Atores Criadores: Beatriz Valsechi, Julia Selena, Renan Almeida, Michael Rosa, Tailicie Paranhos, Thiago Andrade, Bruno Lourenço,  Beatriz Barros.
Duração: 210 minutos (20 minutos de intervalo).
Valor do Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia

“Menina de Louça”- 24 e 31 de agosto – Sextas às 20h
Release: Apresentada pela primeira vez em 2006, a peça foi escrita a partir de uma lenda urbana conhecida como "a loira do banheiro". No entanto, a lenda serve apenas como o pano de fundo para a abordagem de temas que exploram o rito de passagem para a vida adulta.
Texto e Direção: William Costa Lima
Direção Musical: Bruno Lourenço
Atriz Criadora: Beatriz Barros
Duração: 45 minutos
Valor do Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia

“Síntese – Gota D’água” 01 e 02 de setembro

Release: O espetáculo fala sobre as dificuldades vividas por moradores de um conjunto habitacional, tendo como sua trama central a história de Joana, que ao ser abandonada por Jasão, não suporta o abandono, e, para vingar-se, mata os dois filhos e suicida-se.
Texto: Chico Buarque de Holanda e Paulo Pontes
Adaptação e direção: William Costa Lima
Elenco: Grupo Caleidoscópio de Artes Integradas – FEUSP
Duração: 80 minutos
Entrada Franca



Para maiores informações e reservas:
(11) 8634-2385
www.torneado.blogspot.com

sábado, 7 de abril de 2012


O GIRADOR
Pequeno Teatro de Torneado

Festival de Teatro de Curitiba 2012 - Mostra Fringe


TEUNI – Teatro experimental da UFPR
(05/04 – 18h), (06/04 – 21h),
(07/04 – 12h), (08/04 – 15h)


SINOPSE

A história se passa numa seção de “achados e perdidos”. Perpétuo e Armena são um casal de artistas que fogem do circo, cansados de viver em busca de coisas perdidas. Ao decidirem abandonar tudo o que possuem, eles tomam uma decisão curiosa: escolhem jamais amar algo que também pudesse abandoná-los. A história é contada pelas filhas do casal, que tiveram o amor dos pais negligenciado durante toda a vida. As memórias das personagens conduzem a história e as vezes servem para estarrecer, assombrar, divertir ou até mesmo consolar o público que compartilha suas perdas.

SOBRE O PROCESSO

“O Girador” é o mais recente trabalho do coletivo Pequeno Teatro de Torneado. Com dramaturgia e direção de William Costa Lima e a colaboração dos atores criadores Beatriz Barros e Bruno Lourenço. O espetáculo fala sobre a presença e a interferência do tempo nas relações humanas e sua influência na formação e transformação das diversas memórias. E fará a sua pré-estréia na mostra FRINGE do Festival de Teatro de Curitiba 2012.

O espetáculo é o resultado de um ano e três meses de pesquisa sobre desorganização, memórias e perdas. O resultado foi um espetáculo criado de maneira coletiva que convida o público a compartilhar as suas perdas.

RELEASE

A história se passa numa seção de “achados e perdidos”. Perpétuo e Armena são um casal de artistas que fogem do circo, cansados de viver em busca de coisas perdidas. Ao decidirem abandonar tudo o que possuem, eles tomam uma decisão curiosa: escolhem jamais amar algo que também pudesse abandoná-los. A partir daí, a história encontra seu tempo e seu espaço. Durante a fuga do circo, eles se deparam com um homem que está se desfazendo de sua casa e de seus objetos pessoais. Ao encontrar o casal, o homem prestes a atear fogo em seu próprio corpo decide abrir mão dos seus pertences em troca do fusca que guiava a fuga dos dois.

Nesse novo lugar, Perpétuo e Armena decidem parar de fugir e constroem uma casa e um parque. Os dois começam um árduo trabalho para transformar aquele espaço privado num lugar aberto a todos. Com o passar do tempo, a quantidade de pessoas fazia com que muitos objetos fossem deixados no parque. Perpétuo, então, faz uma separação entre os objetos achados e os objetos perdidos.  Ele começa a juntar os objetos achados no parque para poder  vendê-los. Enquanto envelhece, vai perdendo a sua visão e os objetos começam a se acumular e começam a ganhar o espaço que as relações humanas deixaram de ter na vida do casal e de tudo aquilo que os rodeia. Falar sobre objetos significa falar sobre memória, mas também sobre poder e posse. ]\


A história é contada pelas filhas do casal. Filhas que tiveram o amor dos pais negligenciado durante a vida inteira. Existe uma estreita relação entre os objetos perdidos e as memórias das personagens que as vezes servem para estarrecer, assombrar, divertir ou até mesmo consolar aqueles que compartilham dessas histórias.

SOBRE O GRUPO

O Pequeno Teatro de Torneado é um coletivo de jovens artistas-criadores, coordenado pelo diretor e dramaturgo William Costa Lima. Surgido de um projeto de pesquisa, o grupo tem em seu currículo os espetáculos “Menina de Louça”(2006) e “Primavera”(2008). A estes se juntam “Refugo” e “Dias de Campo Belo”(2009).   


FICHA TÉCNICA

Dramaturgia final e direção:
William Costa Lima

Atores dramaturgos:
Beatriz Barros e Bruno Lourenço

Músicas
O grupo

Direção Musical:
Bruno Lourenço

Cenário, iluminação e figurinos:
William Costa Lima

Assistente de produção e operação de som:
Águida Carolina

Fotos:
Íris Ueda e Bruno Marchetti

Realização:
O Pequeno Teatro de Torneado

Sede da Cia:
Teatro Lavanderia
Av: Miguel Stéfano 1000 - Saúde
São Paulo – SP

www.torneado.blogspot.com
teatrodetorneado@gmail.com
Contato: (011) 8634-2385


Sobre o sentir e o dançar de um corpo gordo

Sempre achei estranha a vontade que eu tinha de dançar. Durante muito tempo, meu corpo ficou inerte. Fugia das aulas de educação física, ...