Postagens

Mostrando postagens de 2014

2014: um primeiro balanço e o nosso fim de ano

Faltam dois meses pra acabar o ano! 2014 está sendo intenso e bem lotado pro Torneado, pelo menos segundo a história mais recente do grupo.

Este ano fizemos duas temporadas de "O Girador", o espetáculo do nosso coração. Uma por nossa conta, na região central (Pequeno Ato) e outra em Sto Amaro (Leopoldo Froes), com apoio da Prefeitura de São Paulo. A peça também foi selecionada pro Festival de Hortolândia, e tivemos a oportunidade de apresentá-la no interior. Faremos mais uma última apresentação da peça este ano, que vai ser na Mostra do Projeto Bazar, dia 7 de novembro.

"Dias de Campo Belo", o nosso baile da saudade, apresentou no Espaço Parlapatões bem na época de carnaval (uma coincidência da vida, porque essa temporada nem tinha sido planejada!). Começamos uma segunda temporada da peça em setembro, mas tivemos que cancelá-la (mais uma coincidência da vida impossibilitou que a gente realizasse todas as apresentações). Mesmo assim, a peça cumpriu duas sessões no ce…

Como chorar em cena

Imagem
Parece um sentimento comum, não é? Isso de não ter tempo para aqueles que você ama. Vivemos num mundo tão cheio de obrigações que o “a gente combina de se ver” virou chavão para amenizar o coração e não criar responsabilidades com o outro.
O trabalho de ator é árduo. Trabalhar no teatro em si é difícil. Mas defendo o peso, a dureza, a labuta que existe no ofício do ator. A mimese faz parte do que é de mais primitivo no humano e é o que, até hoje, nos permite sonhar. Essa é a mística da transformação no outro, do momento em que deixo de ser eu e me transformo em nós, em Legião. Em cena, não somos únicos, somos um milhão de vozes que precisam se exprimir por um corpo inserido no espaço-tempo. Há quem diga que sem técnica não se faz teatro, pois eu digo que a técnica é um atalho para a celebração.
Por isso que hoje os bares são mais cheios do que o teatro. Culpa do mundo? Não, culpa do teatro que deixou de ser um lugar de celebração. O peso tão acumulado que insistimos em carregar nos omb…

Sobre cabelos e teatro

Imagem
Muitas vezes conversamos no Torneado sobre os cabelos das meninas. A conversa nunca foi formal, nunca sentamos juntos e paramos pra discutir o assunto. Mas num grupo diverso, cheio de mulheres, é previsível que nos bastidores do nosso dia a dia a gente pare pra falar sobre nossas madeixas, dicas de cuidado, mudanças no estilo, etc.

Entre essas papeadas, percebemos, quase sem querer, que quando entraram no grupo e começaram o seu processo de formação artística, muitas garotas deixaram de usar o cabelo alisado.
Não vemos mais ninguém fazendo escovas, tratamentos químicos e progressivas, práticas até alguns anos atrás tão comuns entre as integrantes. Hoje olhamos pro grande elenco que compõe o nosso último espetáculo e podemos ver um lindo mar de cachos, blacks, ondulados...E diante dessa prazerosa constatação, me perguntei: o que o teatro tem a ver com cabelos?
Para a mulher o cabelo é muito importante. Não é a toa que a punição escolhida pras mulheres que se relacionaram com nazistas…

Curtíssima temporada do espetáculo "O Girador" no Teatro Pequeno Ato

Imagem
É com imenso prazer que o Pequeno Teatro de Torneado anuncia a curtíssima temporada do espetáculo "O Girador"!

Dessa vez, a nossa temporada seguirá às quartas e quintas, do dia 18/06 até o dia 03/07, sempre às 21h no Teatro Pequeno Ato (próximo do Metrô República).

Reserve seus lugares!

“O Girador” é um dos últimos trabalhos do coletivo Pequeno Teatro de Torneado, com dramaturgia e direção de William Costa Lima e a colaboração dos atores criadores Beatriz Barros e Bruno Lourenço.

Criado a partir de um processo de reflexão sobre a própria trajetória do grupo, “O Girador” é uma história sobre amadurecimento, memórias e perdas.

A história de “O Girador” se passa num depósito de achados e perdidos criado por um casal de ex-artistas circenses: Perpétuo e Armena. Com o passar do tempo, o casal envelhece e os objetos se acumulam ao seu redor.
A trama é contada pelas filhas do casal. Filhas que tiveram o amor dos pais negligenciado durante a vida inteira. Existe uma estreita relação entre…

o amor é o amor, e arte

"A vida é um arquipélago de amor atormentado”, fazem quase dois anos que
este verso de Blake me persegue diariamente...
Sem a arte, que pra mim é uma das facetas do amor, a vida seria intolerável. Sem outras manifestações amorosas tenho me virado até então, mas sem o mínimo de encontro com a arte não.
 Esse “até então” que vou vivendo de dedinhos dados com a arte é como estar em um laboratório afetivo e recombinar uma série de poções explosivas. Sempre fico com a sensação de que abri algo da minha intimidade e recebi um pedaço que faz diminuir a solidão... Chamo de arte tudo o que me permite modelar os olhos, as mãos, o coração. Isso me lembra uma angustiada felicidade. Na angústia, só há perguntas sem respostas, na felicidade, perguntas não há, afinal já estamos plenos. E depois, quando surgi um sofrimento e perturbações sem fácil explicação posso optar por esperar ou caminhar outra vez em direção a uma dose de arte, porque ela me acolhe, acolhe, mas não conforta, nem deveria. A…

Sobre a transformação do ator

Devido a certos imprevistos da vida tivemos que cancelar a última temporada do espetáculo "O Girador". Porém (e ao mesmo tempo) essa perspectiva de distanciamento do criador com a obra criada faz com que a gente repense, reorganize, resignifique, reestruture algumas questões do espetáculo.
O teatro é vivo. Está em constante mudança. Um espetáculo criado coletivamente (quando todos os envolvidos tem domínio e conhecimento sobre a obra) traz ainda mais essa sensação de vitalidade. Um espetáculo é um novo ser que a cada ano conquista novas possibilidades: o primeiro passo, a primeira palavra, a primeira curiosidade, o novo choro.
Sinto que nós, atores, somos responsáveis por pensar e criar essas respirações, esses movimentos, esses olhares nunca demonstrados e explorados em cena. Esses novos aprendizados sobre o espetáculo é uma responsabilidade nossa que deve ser explorada.
Em todos os espetáculos do Pequeno Teatro de Torneado o ator é esse órgão que vitaliza o corpo novo do es…

Peter em Fúria em cartaz

Imagem
PETER EM FÚRIA em cartaz
Após aproximadamente dois anos de processo de pesquisa e de montagem, o Pequeno Teatro de Torneado irá realizar mais uma estreia do seu mais novo espetáculo "Peter em Fúria".

O espetáculo é um musical criado pelas mãos de 31 artistas, resultante de uma releitura do conto "Peter Pan e Wendy" de J.M. Barrie, transposto para a realidade de uma favela brasileira.

Com dramaturgia e direção de William Costa Lima, o espetáculo conta com 12 canções inéditas compostas pelo próprio dramaturgo e pelo ator e diretor musical Bruno Lourenço. 

Sinopse
O assassinato em uma favela serve como fio condutor da trama de Peter em Fúria. Ao longo da história, os personagens revelam seus anseios, criando um paralelo entre sonho e realidade.

Livremente inspirado na obra de J.M.Barrie, Peter em Fúria é inspirado nos signos extraídos do conto e, através de uma metáfora dramática, foi construído como uma versão para a lenda de Peter Pan.


Serviço: Temporada: De 05 de Abril a …

Dias de Campo Belo em cartaz no Espaço Parlapatões.

Imagem
DIAS DE CAMPO BELO em cartaz.
Dias de Campo Belo, é um espetáculo do repertório do Pequeno Teatro de Torneado. Com dramaturgia e direção de William Costa Lima, o espetáculo propõe uma investigação das relações e do universo masculino. O projeto conta com a supervisão artística de Luís Fernando Marques, do Grupo XIX de Teatro e foi destaque do Festival de Teatro de Curitiba 2009.
Sinopse
Dias de Campo Belo conta a história de uma jornada interior, um passeio pelas memórias e sonhos de personagens masculinos que, por alguns instantes, tentam modificar o curso de sua existência e colocar em relevo tudo o que passou despercebido. Entre as estações e lugares que o espetáculo percorre, o carnaval é uma delas.
Amigos, irmãos, primos, pais e avós que, em seus tantos encontros ao longo da vida, tentam voltar às suas raízes e reafirmar pactos, sem perceber a força social e histórica que age sobre as rupturas e pequenas ditaduras cotidianas.
Serviço: Temporada: De 11 de fevereiro a 4 e 5 de março D…