Histórico do Grupo

O PEQUENO TEATRO DE TORNEADO é um coletivo de artistas criado no ano de 2005 e coordenado pelo diretor e dramaturgo William Costa Lima. Surgido de um projeto de pesquisa que tinha como foco questões da juventude/ adolescência, o coletivo faz sua estreia em 2006, no Centro Cultural São Paulo, com o espetáculo “Menina de Louça. Esse trabalho é resultado de dois anos de experiências pedagógicas e mais de oito exercícios cênicos.
            Em março de 2008, estreia o espetáculo Primavera, recriação do clássico “O Despertar da Primavera” de Frank Wedekind. Primavera realizou temporadas em São Paulo no Espaço Pyndorama (2008), Teatro da Vila (2008), Teatro Nelson Rodrigues (2009), Teatro Lavanderia (antiga sede do coletivo - 2010/2011/2012) e Casa Mariajosé de Carvalho, atual sede da Cia. De Teatro do Heliópolis (2012). Também em 2008, o coletivo participa do projeto Conexões, uma iniciativa do British Council e Cultura Inglesa, que incentiva o teatro feito por jovens e para jovens. Por esse projeto, realiza a montagem de Refugo, texto inédito no Brasil da dramaturga inglesa Abi Morgan. O espetáculo fez sua pré-estreia na Mostra Fringe, do Festival de Curitiba 2009, depois cumpriu temporada nos teatros: Teatro Cultura Inglesa (2008), Teatro Commune (2009); Teatro Vivo (2009/2010), Teatro Nelson Rodrigues (2010) e Casa Mariajosé de Carvalho (2012).
            Em 2009, o coletivo participa do “Festival II de cenas cômicas dos Parlapatões”, com o experimento “Cramância de Gertudes aos que não pronunciam o Only You.” No mesmo ano, em parceria com a Escola Livre de Teatro de Santo André, estreia o espetáculo Dias de Campo Belo, sob a supervisão de Luis Fernando Marques, na Mostra Fringe do Festival de Curitiba. O espetáculo cumpriu temporada em espaços como a Vila Maria Zélia (2009), Teatro de Arena Eugênio Kusnet (2010), Teatro Lavanderia (antiga sede do coleitvo – 2010/2011/2012) Teatro Zanoni Ferrite (2013), Espaço Parlapatões (2014) e Pequeno Ato (2014). O espetáculo participou da Mostra Experimentos TUSP 2010 e do Circuito Tusp de Circulação, além de participar da Mostra Satyrianas 2011 e a Mostra de Teatro da Unifesp 2011.
            Em maio de 2010 o coletivo é selecionado para o 10º Festival de Cenas Curtas do Galpão Cine Horto em Belo Horizonte, com o experimento Gritar por Cida. Em 2012, realiza uma mostra de repertório na Casa Mariajosé de Carvalho, onde reapresentou os cinco espetáculos de repertório. No mesmo ano, faz a pré-estreia do seu espetáculo O Girador, no Festival De Teatro de Curitiba. Com este espetáculo, o coletivo foi indicado a todas as categorias do FIT-Bahia 2013 e premiado nas categorias: melhor diretor, texto, ator e atriz. Ainda em 2013, o espetáculo participou do Festival de Teatro de Indaiatuba, sendo indicado a todas categorias e premiado nas categorias: melhor texto, melhor cenário, melhor ator e melhor espetáculo. Este ano, com O Girador, o grupo foi selecionado para o Festival Nacional de Teatro de Hortolândia, a Mostra Nalona, e convidado par integrar a Mostra do Projeto Bazar. Além disso, realizou temporada no teatro Pequeno Ato, e apresentou a preços populares no teatro Leopoldo Froés, distrital da Prefeitura de São Paulo.  
            Em 2014 o grupo estreou o musical Peter em Fúria - uma releitura do clássico ‘Peter Pan and Wendy’ de J.M.Barrie, que fez sua estreia na Casa MariaJosé de Carvalho, cumprindo outras temporadas no Espaço Redimunho e Espaço Parlapatões. Com esse mesmo espetáculo, o coletivo participa do FIT (Festival Ipitanga de Teatro) BAHIA 2014 e venceu quase todas as categorias do Festival Proscênio – Festival De Teatro de Indaiatuba 2014. Além disso, o grupo firma parceria com o Sítio Cultural Alsácia, situado na cidade de Ribeirão Pires, onde passa a sediar.
            Em 2015, o coletivo segue sua trajetória com o espetáculo “Peter em Fúria” com duas novas temporadas no Espaço Parlapatões, participou da “Mostra Quizumba de Teatro Jovem” e retomou seu primeiro espetáculo “Menina de Louça”, também no Espaço Parlapatões. Além disso, o grupo é contemplado com o Prêmio Zé Renato da prefeitura da cidade de São Paulo, para realizar apresentações de “Peter em Fúria” nas periferias da cidade, e é indicado para o prêmio Shell de Teatro 2015 na categoria Inovação pelo processo de integração, orientação e experimentação na formação de jovens na linguagem teatral através do exercício crítico de cidadania, com o deslocamento e compartilhamento dos resultados de trabalho do coletivo em diferentes espaços de São Paulo. Em Agosto, estreia seu primeiro espetáculo infantil, “Celofane”, pelos teatros distritais, no Teatro Alfredo Mesquita. Em Outubro, o coletivo participa com “Peter em Fúria” no FETO - Festival Estudantil de Teatro de Belo Horizonte. Em Novembro, o curta-metragem “O Silêncio Não Está Morto, Querida Vó Helena” é selecionado para o Festival Estudantil de Audiovisual de Fortaleza.

            Em Fevereiro de 2016, o coletivo realiza sua Mostra de Repertório “A Dramaturgia dos Moleques”, comemorando os 11 anos dessa pesquisa estética e dramaturgia. A Mostra de Repertório ocorreu no espaço da FUNARTE-SP e, além da apresentação de seis espetáculos, houveram duas rodas de conversa e uma exposição fotográfica “Os Lugares são as Pessoas”. Além disso, o coletivo firma parceria pedagógica com a Oficina Cultural Alfredo Volpi, capacitando jovens artistas no teatro criativo, resultando no exercício cênico “Obrigado pelos pés na lama”. Em Abril e Agosto, duas novas parcerias pedagógicas surgem, dessa vez, respectivamente, com o SESC Itaquera, no projeto “Juventudes”, e com o SESC Santo André, no Projeto “Se Liga!”. Em Setembro, o coletivo estreia seu espetáculo "Palpitação", seguindo em cartaz no Espaço Parlapatões e na FUNARTE.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Verão de 2005.

Curtíssima temporada do espetáculo "O Girador" no Teatro Pequeno Ato

2014: um primeiro balanço e o nosso fim de ano